A MATÉRIA PRIMA

Raça bovina alentejana
Oreconhecimento da denominação de origem “Carnalentejana” é o fruto do esforço desenvolvido nos últimos anos pelos criadores, na preservação do património da Raça Bovina Alentejana.

Estes magníficos animais constituem uma raça regional que evoluiu a partir dos animais de tracção utilizados no Alentejo e cuja transição para raça produtora de carne está documentada desde meados do século passado. Particularmente bem adaptados às condições de crescimento na terra alentejana, estes bovinos alimentam-se de pastagens espontâneas, movimentando-se em liberdade numa região ainda preservada. O resultado é uma carne de qualidade, produzida com métodos rurais.

A MATÉRIA PRIMA

Raça bovina alentejana
Oreconhecimento da denominação de origem “Carnalentejana” é o fruto do esforço desenvolvido nos últimos anos pelos criadores, na preservação do património da Raça Bovina Alentejana.

Estes magníficos animais constituem uma raça regional que evoluiu a partir dos animais de tracção utilizados no Alentejo e cuja transição para raça produtora de carne está documentada desde meados do século passado. Particularmente bem adaptados às condições de crescimento na terra alentejana, estes bovinos alimentam-se de pastagens espontâneas, movimentando-se em liberdade numa região ainda preservada. O resultado é uma carne de qualidade, produzida com métodos rurais.

Maioral

É Carnalentejana aquela que é obtida a partir de animais de Raça Alentejana, inscritos no livro de nascimentos e filhos de pai e mãe no livro genealógico da Raça Bovina Alentejana. Vitelos/as e novilhos/as são criados e abatidos em condições e com idades e pesos estritamente definidos para que a carne que chega ao consumidor seja a melhor, a mais apetecível e a mais saborosa.

Condições estritas de identificação animal, saneamento e assistência veterinária, alimentação dos animais e seu abate, assim como a preservação e acondicionamento das peças, garantem a qualidade desta carne, que só pode ser comercializada devidamente identificada como “Carnalentejana – DOP”.

Todo este processo de produção é acompanhado e certificado pela Certialentejo, Lda.

Particularmente bem adaptados às condições de crescimento na terra alentejana, estes bovinos alimentam-se de pastagens espontâneas, movimentando-se em liberdade numa região ainda preservada. O resultado é uma carne de qualidade, produzida com métodos rurais.

A NOSSA RAÇA

Raça bovina alentejana
Originalmente uma raça de animais de trabalho, esta antiga Raça Bovina, convexilinea, de pelagem vermelha, com tons que vão de trigueiro ao retinto cor de mogno, e mucosas almaradas, recebeu a designação do toponímico da sua região de criação – o Alentejo.

Durante os últimos 40 anos, através de selecções rigorosas e do melhoramento, foi possível conhecer e desenvolver as potencialidades desta raça bovina, produtora de carne. Toda esta evolução se tem dado mantendo a excelente adaptação dos animais da Raça Alentejana às condições naturais da região que lhe deu o nome, próprias do sequeiro mediterrâneo.

Mãe e cria de Raça Alentejana

Os núcleos de produção são normalmente caracterizados por vacadas de algumas dezenas de fêmeas em reprodução, criadas em regime extensivo, em explorações onde a produção pecuária se efectua normalmente em simbiose com a produção de cereais. A complementaridade destas duas produções ao longo dos tempos tem sido uma constante.

Efectivamente, o aproveitamento das palhas e restolhos dos cereais pelos bovinos alentejanos, constitui prática normal e muito importante à manutenção dos efectivos logo que as pastagens naturais começam a rarear, ou seja, durante um período que se estende desde o principio do Verão até ao Inverno.

As zonas de pastoreio localizam-se normalmente a coberto dos montados de azinho e sobro, cujas bolotas e landes permitem dispor de uma reserva alimentar a partir do Outono, excelente complemento para a erva ainda de pouco valor nutritivo nessa época do ano.

A alimentação dos bovinos de raça alentejana é, portanto, 100% saudável e natural.

A nossa carne é certificada