A NOSSA HISTÓRIA

UMA MARCA DE CONFIANÇA DESDE 1992
Foi no contexto sócio-económico do início dos anos 90, recente adesão à CEE, que surgiu a necessidade de alguns Agricultores/Criadores de bovinos de Raça Alentejana comercializarem em conjunto os seus produtos, pois com a descida generalizada dos preços dos bovinos verificada em princípios de 1992 os produtores isolados no mercado tinham bastante dificuldade em escoar o seu gado, que normalmente atingia baixas cotações.

Nesta fase, pós adesão à CEE, a livre circulação de bens e serviços passou a ser uma realidade tendo também aparecido as substâncias proibidas usadas para estimular o crescimento e a engorda dos animais. Este facto veio alterar os preços de mercado, pois acelerava o crescimento dos animais reduzindo os custos de produção.

A NOSSA HISTÓRIA

UMA MARCA DE CONFIANÇA DESDE 1992
Foi no contexto sócio-económico do início dos anos 90, recente adesão à CEE, que surgiu a necessidade de alguns Agricultores/Criadores de bovinos de Raça Alentejana comercializarem em conjunto os seus produtos, pois com a descida generalizada dos preços dos bovinos verificada em princípios de 1992 os produtores isolados no mercado tinham bastante dificuldade em escoar o seu gado, que normalmente atingia baixas cotações.

Nesta fase, pós adesão à CEE, a livre circulação de bens e serviços passou a ser uma realidade tendo também aparecido as substâncias proibidas usadas para estimular o crescimento e a engorda dos animais. Este facto veio alterar os preços de mercado, pois acelerava o crescimento dos animais reduzindo os custos de produção.

Bovino de Raça Alentejana

É neste momento, que um grupo de produtores decide intervir no mercado, entendendo que deveriam ter um rendimento igual aos dos outros criadores /engordadores, embora não pretendessem enveredar pelo lucro fácil, engordando os animais com recurso a substâncias químicas.

É nesta altura que Fernando Carpinteiro Albino, actual Presidente do Conselho de Administração da Carnalentejana S.A., conjuntamente com outros Criadores de bovinos da Raça Alentejana, sentiu a necessidade de conjugarem esforços no sentido de comercializarem os seus produtos de uma forma concentrada, ganhando dimensão e poder negocial.

Perfazendo inicialmente um total de 33 interessados em reunir os esforços, havia que dar corpo a toda esta iniciativa.

É neste momento, que um grupo de produtores decide intervir no mercado, entendendo que deveriam ter um rendimento igual aos dos outros criadores e engordadores, embora não pretendessem enveredar pelo lucro fácil, engordando os animais com recurso a substâncias químicas.

Perante o clima de pouca cooperação a que normalmente se associa o empresário português, este grupo apresentava uma vontade ímpar de fazer acontecer este projecto. Por um lado, porque havia uma ameaça generalizada que a todos afectava e, por outro, devido ao facto de serem empresários agrícolas de média e grande dimensão, perfeitamente cientes das vantagens em cooperar.

Havia contudo um dilema que se deparava antes da constituição formal deste projecto: qual seria a forma jurídica a dar a esta organização. Entre as duas opções possíveis, a sociedade anónima e a cooperativa, a decisão pela primeira foi unânime devido à heterogeneidade de dimensão dos interessados, não havendo motivos para que as participações de cada um fossem iguais.

produtores

Foi assim criada a Carnalentejana S.A. por escritura pública de 1 de Junho de 1992, na qual participaram os 33 criadores de bovinos de raça alentejana pura, reunindo um capital de 118.150 euros. Tem hoje 129 produtores associados com explorações distribuídas por todo o Alentejo, embora com maior concentração no distrito de Portalegre.

Com um capital social de 700.000 euros, a que correspondem cerca de 9.500 vacas adultas de linha pura, é o maior agrupamento nacional de produtores em produção extensiva.

Esta sociedade anónima, com sede em Elvas (Zona Industrial, Sítio do Moinho de Vento) é reconhecida como Agrupamento de Produtores, e é detentora da marca Carnalentejana incluída na lista das Denominações de Origem Protegidas (DOP) a nível comunitário.

Conheça os nossos bovinos de Raça Alentejana